quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Tempo mano velho

Eu não era de amar, perdidamente, mas só me permitia coisas intensas, mesmo que pensamentos não aceitava que fossem menos que INTENSOS. Eu tava cansada de acabar com os relacionamentos e sentir vazios intermináveis como se eu não tivesse nunca amado essa pessoa e resolvi que dessa vez ia ser diferente, eu permitir que ele se envolvesse nesse relacionamento de tal forma que eu poderia dizer por tempos e tempos "ele foi a melhor coisa que me aconteceu".
Prometi a mim mesmo que quando passasse o tremilique, a palpitação e o desejo incontrolável de ligar todas as horas do dia, eu terminaria o romance. Já se passaram 1 ano e 2 meses e mais madura eu sinto que a vontade de ligar não é controladora e sim de preocupação, que a palpitação é de saber como vais me receber e se meu coração ainda bate por você, eu estava cheia de inseguranças sobre mim, nunca sobre você. Mas mesmo fazendo de tudo pra que esse fosse o melhor dos meus casos eu sei que quando acabar eu não vou me debruçar em lágrimas, eu vou seguir a ironia do destino e passar a cuidar de mim. Porque, nós somos milhares de vezes, amáveis e amantes!

@juhhouse

4 comentários:

apple disse...

certa você,
beijos.

Suzi disse...

Essa é uma mensagem bem positiva. Eu só não me daria bem com essa ideia de viver intensamente. eu já sou assim por natureza. e quer saber? quando acaba sempre sofro. tenho um pouco de inveja das pessoas que não tem esse tipo de problema xD

Ana Pontes disse...

Olá,
Garota, seu blog é quente, tem opinião. Eu gosto muito disso e sigo você.
Gostaria de te convidar a conhecer o meu também, que é, assim como o seu, o que eu tenho para oferecer sem receios. Espero que você goste (:
Beijos,
Ana Pontes


http://asoleneanapontes.blogspot.com/

Karine Tavares disse...

Teu blog é ótimo! Parabéns!

Vem conhecer o meu:
leiakarine.blogspot.com