quarta-feira, 29 de outubro de 2008

E enquanto a mim...

Tudo que eu sabia, esqueci.
Tudo que inventei, fizeram melhor.
Tudo que pensei, pensaram também.
O que acreditei certo, é mais errado do que se possa imaginar.
Tudo que imaginei, não passou de imaginação.
Tudo que conquistei, já tinha sido me dado.
Tudo que tenho, é nada +, nada –, que paz, e isso é o que basta pra me manter em um ponto de equilíbrio onde eu posso, criar o que ninguém criou, pensar o que ninguém pensou, surpreender a todos ‘inclusive a mim’, realizar tudo que eu quiser.

Posso parecer estranha, confusa, pensativa e até misteriosa, mais enquanto a você, tu deve estar entre os seus 18 e 25 anos enquanto eu estou com 17, você deve ouvir músicas do Kuase nada, forfun, ponto de equilíbrio, natirut’s, adão negro e strake, enquanto eu ouço, Mamonas assassinas, Mc fly, O rappa, Evanescence, Psirico e músicas de Zouk. Seu hooby deve ser surfar, ou jogar vídeo-game, enquanto eu, quando tenho feriados gosto de ir pro meio do mato, numa casa sem luz, sem telefone, com uma cachoeira no quintal e um pé de pitanga na janela do quarto, acordando com o cantar do ‘fogo-pagô’.

Não gosto de falar dos outros ‘prefiro falar de mim’, nem de julgar ninguém ‘exceto que eu ganhe algo por isso’, evito falar sobre os ‘problemas do mundo’ e de quem os causa, enquanto você deve viver criticando a esquerda e a direita, o presidente da república, as pessoas que cantam mal e tem coragem de gravar um cd e ainda botar pra vender, a vizinha...

Antes de abrir a boca penso bastante nas conseqüências que minhas palavras terão, talvez por isso, alguns me rotulem como ‘madura’, sensata, etc. Porém ultimamente ando fazendo muita coisa sem pensar, não sei se é por causa da ânsia de ser uma universitária e de estar prestes a fazer 18 anos, estou começando a pensar que perdi meus valores, já não gosto mais das mesmas coisas, troquei meu olhar amigo por olhares desconfiados, deixei pra trás minha inocência e me passo ser para outros uma coisa que não sou, substituí meus valores. É! Pode ser uma fase. Outros dizem que me escondo do mundo e das situações, e acho que estes estão certos, porque na maioria dos dias eu estou dentro de uma bolha criada pela minha imaginação e lá nada me atinge, nem a pior e mais afiada das farpas.

Às vezes chego a pensar que sou inexplicável, não consigo me apegar a nada que eu não possa largar, pra fazer algo preciso acreditar que tem 100% de chances de dar certo, mesmo sabendo que isso é impossível. Às vezes acho que preciso acordar, e vez em quando que preciso é dormir! E enquanto a você... ?

2 comentários:

Milly Santos.! disse...

Com preguiça de ler.! ¬¬'
hauahauahauahauhaua
=*

Celinho disse...

Enquanto a mim, acho que você é incompreendivel, e não é metade das coisas que falou!