sábado, 6 de dezembro de 2008

Indireta quatro de Dezembro á 4,0000º C. Cheia de Dizimas, bem periódicas!

Seu aticismo é de tirar o fôlego.
Você é o produto, da soma dos catetos e apostos.

Há uma parábola intrigante no teu andar.
Tens uma promessa verbal difícil de notar.

Parecida com as alegorias que vão seguindo de folguedos.
Não quero ficar no sol esperando seus panfletos.

É o mesmo que ficar num barco sem pescar.
É não agir, só observar.

Quero algo pra levar, 'nem que seja emoção'
De mãos vazias eu não volto, só vou partir quando encher meu caldeirão.

Não pense que desisto, to na luta e não sou fraca.
Eu quero me conspurcar em você e lálálá...

Você é como um rol.
E se me desse bola, eu com certeza faria o gol!

7 comentários:

Juliana disse...

XONADOOOOOONA!
Ta d+ viu amiga! uihauiauhaia
BjOoOo
lindo,lindo,lindo o texto!
♥♥♥

Thiago_ajairon disse...

Amor é uma desgraça, mesmo assim vale a pena sentir.

Luiise Pretinha ;D disse...

Ih rpz.. prefiro n comentar ! =X

Raiane Souza disse...

Rapaz quero ver se vc vai chegar na 10ª e esse menino num vai perceber. Só sei que seu texto tá lindo como todos os outros. Parabéns Juh!

Celinho disse...

Linda, como diz você.,,, corro de mais,,#

Milly Santos.! disse...

Depois de dias sem comentar...
finalmente chegueeeeei.!
Rpz, eu sou a única q sabe qm é?!
da vontade de acabar com a criatura.!!!
hauaahauahauahauaahauahua
mas como sempre, ta otimaaa.!
e dessa vez o titulo nem foi meeeeu.! ta maaassa.!

Juliana Mendes disse...

você só deu titulo no 3 !!
--'