sábado, 19 de março de 2011

Head lock

Eu gostava dos meus textos capciosos e volúpios.
Sim, claro que sim, sinto saudades. Muitas!
Não apenas dos que você me deu, sinto saudades inclusive dos mais antigos.
Na verdade, a falta é do sentimento. Onde não importa a cor do seu Deus.

Eu gostava da maneira fácil que vinha o fim para os textos.
Sim!!!! Claro que sim, sinto vontade. Deveras!
Não de você, nada contra, mas é que anciedade não combina comigo.
Na verdade, a falta de anciedade. Principal sintoma do amor.

Eu gostava do jeito em que as músicas encaixavam no momento que eu digitava.
Sim, claro que sim, as músicas viravam trilha. Todas!
Não somente nos meus pensamentos para ti, aliais eram sim!
Tudo pra você, pensamentos, lógicos e inconscientes.
Indecisão me fere, mas não me mata, e é sim, uma ferida gostosa.
Das mais gostosas!

No dia 19 de agosto de 2010 começei a escrever pra você...
eu escrevia que eu já estava com vergonha de contar ao meu coração que havia me apaixonado de novo. E completando 7 meses, tudo ainda está igual, eu  perdi a vergonha.
Só não perdi o vício de falar sobre isso!

5 comentários:

ticoético disse...

Eu GOSTO e vou gostar do que leio aqui se escreveres deste mesmo jeito,há algo de belo nessa dança que faz com as palavras,enfim,até.

abraço !

paaathy ;D disse...

Quando admitimos o sentimento e nos permitimos senti-lo, pode ser que as coisas não fiquem mais fáceis, mas ficam mais absolutas.

E eu tbm adoro sua dança com as palavras ;*

Amapola disse...

Boa tarde, querida amiga Jhuliana.

É lindo admitir que está apaixonada.
Que essa pessoa a faça muito feliz!

Sobre seu comentário lá, é claro que você também é homenageada.(Esse quadradinho mostrando uma linda menina de óculos) é inesquecível, e assim será, mesmo que um dia você mude a imagem.

Um grande abraço.
Tenha uma bela semana, cheia de paz e amor.

luluonthesky disse...

Quando a pessoa admite que está apaixonada não deve ter vergonha de expor os sentimentos.
Big Beijos

Cadinho RoCo disse...

Pode ser que ao invés de perdido, tenha é se libertado da vergonha.
Cadinho RoCo